Fibromiomas - Controlo Pós-embolização

A paciente será por nós contactada telefonicamente na manhã a seguir à embolização, pelo que deve ter o telemóvel ligado.

Por outro lado, a paciente poderá contactar-nos em qualquer altura pois o Prof. Pisco e os seus assistentes encontram-se comunicáveis 24 horas por dia.

Aos 6 meses a doente fará RM, análises de sangue e será depois observada, contudo, se for necessário poderá ser antecipada a consulta. É muito importante que a paciente saiba que pode dispor do Prof. Pisco em qualquer altura após a embolização, facto que lhe dá muita segurança. A maioria das duvidas que possam surgir às pacientes são esclarecidas pelo telefone.

Depois de termos tratado mais de 1000 pacientes a nossa experiência diz-nos que não vale a pena efectuarmos exames, nem qualquer consulta antes dos 6 meses. Todavia, se houver algum sintoma persistente que justifique, serão efectuados exames e marcada consulta e eventual observação por um dos ginecologistas da equipa, se necessário.

Também não se justifica a consulta por ginecologistas antes dos 6 meses. Depois dos 12 meses é obrigatória a consulta anual por um ginecologista.

Aos 18 e 36 meses poderá ser repetida a RM pélvica. Aos 3 anos fará radiografia simples da bacia. Depois dos 3 anos a realização anual de RM até aos 5 anos é facultativa, justificando-se,apenas, se o fibromioma não estiver completamente em isquémia ou se a paciente continuar com queixas.

Controlo pós-embolização
a) antes da embolização: fibromioma de grandes dimensões, cinzento por conter vasos sanguíneos.
b) 6 meses depois redução das dimensões do fibromioma e cor escura por isquémia ou seja ausência de vasos sanguíneos.
c) 12 meses após a embolização: fibromioma continua a reduzir de dimensões e mantêm cor escura por isquémia.

Se ocorrer gravidez, deve-nos informar a fim de a podermos orientar e aconselhar sobre cuidados a ter.

Alguns ginecologistas não estão ainda familiarizados com a embolização, o que deixa as pacientes preocupadas. Umas das pacientes de 41 anos de idade, já tinha tido 3 abortos espontâneos. Ao engravidar após a embolização, foi-lhe dito que teria de efectuar aborto porque a sua vida corria risco. Contudo não o fez, e aos 42 anos de idade nasce o seu primeiro filho saudável.

Partilhe este conteúdo

Comentários: 2

  1. Antonia Roque says:

    Exmos.
    Escrevo, de Angola.
    Tenho 40 anos de idade, e tenho uma filha de 24 anos.
    Descobri que tenho 2 miomas, um intramural e outro subseroso , após uma consulta de ginecologia.
    Tenho algumas ecografias que comprovam. O maior tem por ai 8, 3cm.
    Pesquisei sobre tratamentos e descobri a embolização.
    Viajei para Republica da Namíbia, a fim de fazer a intervenção.
    Porem o médico que me foi indicado infelizmente não faz.
    Sugeriu-me a retirada do útero, que segundo ele o mioma
    esta tão grande que não será , possível qualquer médico fazer a intervenção.
    Como pretendo engravidar e tenho esperanças na embolização decidi escrever para vocês a fim de saber de custos, (ressonância, consulta pré embolização, e intervenção etc etc.)
    Estou a tratar do visto para a viagem a Portugal.
    Assim que obtiver, agendado o dia da vigem envio um email, a agendar,
    a consulta e a intervenção.

    Obs. Agradeço que me envie o preço em Dólares Americanos,
    se possível por favor.

    Aguardo resposta.

    Sem mais no momento
    Com os melhores Cumprimentos

    Antónia Roque

  2. elizabetep says:

    respondido por mail

Deixe o seu comentário: