Fibromiomas - Embolização uterina

Desde 1985 vem sendo utilizada uma técnica não invasiva que consiste na interrupção da circulação sanguínea que irriga o fibromioma, atenuando ou eliminando os sintomas em cerca de 90% das mulheres submetidas a esta técnica.

No nosso país, realiza-se no hospital de Saint Louis desde de Junho de 2004, tendo já sido tratadas mais de 1700 pacientes.

A embolização é uma técnica minimamente invasiva, simples nas mãos do radiologista de intervenção experiente, com menos riscos que as técnicas cirúrgicas, cujo objectivo é interromper a circulação sanguínea que irriga os fibromiomas, resolvendo o problema de forma rápida e duradoura e preservando o útero. Sem irrigação sanguínea o fibromioma atrofia-se e os sintomas desaparecem.

A embolização uterina é efectuada por um radiologista de intervenção, um médico que é treinado especialmente para realizar este e outros tipos de embolização com técnicas minimamente invasivas. Para o efeito, a paciente é deitada numa mesa de angiografia, onde se realiza a intervenção.

Os fibromiomas são tumores altamente irrigados, razão pela qual podem crescer e sangrar muito. Recebem a sua vascularização das duas artérias uterinas e por vezes também das artérias ováricas. Como são muito vascularizados actuam como uma esponja sobre as partículas colocadas no cateter, absorvendo-as. Desta forma, bloqueiam unicamente os vasos que irrigam os fibromiomas poupando os que alimentam as paredes do útero.

Esquema das artérias que irrigam os fibromiomasEsquema das artérias que irrigam os fibromiomas: uterinas (setas inferiores) e ováricas (setas superiores). * Anastomose entre as artérias ováricas e uterinas. Os números indicam calibre dos vasos em micra a diferentes níveis.

Antes e após a embolização

a) Artéria Uterina Direita antes da embolização dá origem a numerosos vasos (seta pequena) que irrigam o fibromioma.
b) Artéria Uterina Direita após a embolização – os pequenos vasos que irrigam o fibromioma não são visíveis por estarem entupidos, mas a artéria uterina mantém-se permeável (seta).
c) Artéria Uterina esquerda antes da embolização dá origem a numerosos vasos (seta pequena) que irrigam o fibromioma. Artéria ovárica esquerda (seta grande).
d) Artéria Uterina esquerda após a embolização – os pequenos vasos uterinos que irrigam o fibromioma não são visíveis por estarem entupidos, mas a artéria uterina mantém-se permeável (seta).

Imediatamente antes de iniciar a embolização as pacientes tomam um tranquilizante sob a forma de comprimido, analgésicos e anti-inflamatórios por via endovenosa.

Sob anestesia local, e sem perda de sangue efectua-se um pequeno orifício de 1.5 mm de diâmetro na virilha direita através do qual se coloca um fino tubo plástico chamado cateter, que mediante monitorização por aparelho de raios X digital sofisticado é dirigido para a artéria uterina esquerda. Efectua-se então uma arteriografia, ou seja uma visualização dos vasos, por meio de líquido contraste, sob controlo dos raios X, para obter o mapa de fornecimento sanguíneo ao útero e fibromioma. O material utilizado é constituído por partículas de polivinil álcool ou Microsferas de Embozene, um polímero, sem reacção da parte do organismo, estando completamente reabsorvido 6 meses depois. Partículas de plástico finas, como graus de areia, injectadas na artéria uterina vão entupir selectivamente os ramos que irrigam o fibromioma, poupando contudo a própria artéria uterina para que a doente possa engravidar mais tarde. Estas partículas alojam-se nos vasos dos fibromiomas e não se podem deslocar para outras partes do corpo. Repete-se a injecção de partículas até que todas as artérias do fibromiomas estejam bloqueadas. A embolização é depois repetida para a artéria uterina do lado oposto através do mesmo orifício e pelo mesmo cateter. A embolização é continuada até se obter bloqueio completo do sangue para os fibromiomas. Consideramos terminada a embolização quando, sob controlo dos raios X, se verificar oclusão dos pequenos vasos uterinos que alimentam o tumor.

Depois da embolização efectua-se outra arteriografia para confirmar o corte total da irrigação dos fibromiomas.

Esquema de embolização

Esquema de embolização 1

Fig. 1 – Através de um pequeno orifício de 1,5mm na virilha direita introduz-se na artéria femoral um tubo de plástico fino, o cateter, conduzido até à artéria uterina.

Esquema de embolização 2

Fig. 2 – Uma vez nas artérias uterinas são injectadas partículas para impedir que o sangue continue a alimentar os fibromiomas.

Esquema de embolização 3

Fig.3 – Pré Embolização. Arteriografia de artéria uterina. Observam-se abundantes vasos de fibromiomas (setas)

 

 

Esquema de embolização 4

Fig. 4 – Após a embolização os vasos estão ocluídos e apenas a artéria uterina se mantém permeável (seta).

A técnica dura, geralmente, entre 30 e 60 minutos, estando a doente consciente e podendo mesmo visualizar o tratamento no monitor de televisão.

Apesar de não desaparecerem por completo, os fibromiomas ficam atrofiados e inactivos, deixando de causar sintomas, nalguns casos, imediatamente após a embolização, permanecendo a maioria das doentes sem queixas. Logo no primeiro período menstrual a hemorragia e a dor melhoram na maioria dos casos de forma considerável.

Esta técnica, tem menos riscos que as outras técnicas, não afecta a fertilidade e a recuperação é menos dolorosa e mais rápida.

Nos fibromiomas que se acompanham de aumento de volume do abdómen, verifica-se uma redução progressiva das suas dimensões. Nalguns casos, a redução de volume do abdómen pode verificar-se logo após a embolização.

redução de volume do abdómen

a, b, c) Aumento de volume do abdómen por fibromioma

d) Seis meses depois da embolização já não se observa o aumento de volume. Duas horas após a embolização, a paciente resolveu tirar o soro, colocado na veia do antebraço e saiu do hospital e foi trabalhar, por estar assintomática.

a)                                                                     c)

RM da paciente da figura anterior

b)                                                                           d)

RM da paciente da figura anterior:
a, b) fibromioma com diâmetros de 12,9;12,7 e 7,37cm de cor cinzenta por possuir sangue.
c, d) RM 6 meses após a embolização: o maior diâmetro do fibromioma mede 1.9 cm, e os restantes 1,7 e 0,3 cm, e cor escura devido a isquémia., ou seja, ausência de vasos sanguíneos. Verifica-se uma redução de 98% do volume do fibromioma.

Partilhe este conteúdo

Comentários: 134

  1. celma says:

    Boa noite, gostaria d obter infomaçoes adicionais: onde esta localizado o hospital, qual o custo d tratamento, como fazer marcaçoes? Obrigada, aguardo p vossa resposta.

  2. Pina says:

    ira ser respondido por mail

  3. Pina says:

    ira ser respondido por mail

  4. Carina Silva says:

    Boa noite, a minha irmã tem fibromiomas já fez medicação para reduzir ou mesmo elimina-los. No entanto eles cresceram quase 1cm. Neste momento um tem 5 m e outro quase 4cm (estando este por baixo da cavidade uterina. Gostaria de saber a sua opinião se este novo método não evasivo seria adequado ao caso dela? O ginecologista disse que era necessário intervenção cirúrgica e retirar o útero.

  5. Pina says:

    ira ser respondido por mail

  6. Júlia says:

    Boa tarde Doutor e equipa,tenho 40 anos e fui diagnosticada com útero polimiomatos.Gostaria de saber se para engravidar é necessário uma embolizacao? Se sim quais os custos
    Obrigada

  7. marcione says:

    Meu mioma tem 4,85 centímetro, quero fazer a embolização particular, quanto custa?

  8. Pina says:

    3.750€ para mais informações (s.angiografia@hslouis.pt)

  9. Pina says:

    responderemos por email

  10. maria conceiçao fonseca ribeiro says:

    boa tarde pode me dizer onde se faz a embolizaçao na zona Braga ou Porto. obrigada

  11. Pina says:

    O Prof. Pisco so trabalha no Hospital St. Louis em Lisboa.

  12. Carmen correia says:

    Boa tarde! Ja fiz uma embolizaçao no vosso hospital e fiquei mt satisfeita com os resultados. No entanto vim agora a descobrir q me apareceram novos miomas. Meu medico de familia so diz q terei de tirar o utero apesar de lhe ter falado desta tecnica e q ja a fiz. Agora nao sei q fazer, pq infelizmente nao tenho como fazer novamente, mas nao queria tirar o utero. Obrigado pela atençao! Tudo de bom para a excelente equipa!

  13. Nivia costa says:

    Tenho enterese no procedimento Qual o valor? É particula.

  14. Pina says:

    ira ser respondido por mail

  15. Pina says:

    ira ser respondido por mail

  16. Aline Tassia de Lima says:

    Ola, gostaria de saber o valor do procedimento em média, será no particular. obrigada

  17. Mariana Simba says:

    Boa noite, sou Angolana e tenho interesse de fazer embolização, gostaria de saber quanto custa? Sendo particular…
    Obrigada

  18. Pina says:

    Boa Tarde,

    A particular : A consulta são 80€.
    A ressonância magnética ronda os 150€.
    O preço do tratamento varia consoante o tamanho do maior mioma que tiver.
    Até 9cm ou útero até 500cc = 3.750€; de 9 a 14cm ou útero até 1000cc = 3.950€; se tiver mais de 14cm ou útero + 2000cc = 4.590€.
    Se ficar a passar a noite internada acresce 300€.

  19. Eduarda Couto says:

    Boa tarde.Sou portuguesa residente em Angola, tenho 3 miomas com menos de 9 cm gostaria de saber o preço por favor.
    Obrigada

  20. Pina says:

    O valor so sera confirmado apos fazer Ressonancia Magnetica em Lisboa mas apartida por esse tamanhao sera cerca de 3.750€.

  21. Maria graça says:

    Boa noite!
    Tenho interesse em fazer esse tratamento.Tenho útero poliomatico.
    Quais os riscos, q a paciente corre com essa técnica?
    Pq não vejo informação aqui sobre os riscos. Obrigada!

  22. Márcia Patrícia Pinto de Moura says:

    Olá Boa noite.
    Tenho 27 anos e foi-me detetado à cerca de 1 ano um mioma com 4cm, contudo este cresceu e tem agora 7cm, quero engravidar e ao que parece isto traz muitas advertências. A minha ginecologista falou-me do tratamento com acetato de ulipristal. A minha dúvida é como podemos recorrer à embolizaçao uterina? Onde devemos nos dirigir?

  23. CÁSSIA says:

    Tenho Mioma uterino, tenho 51 anos e não optei em tirar, mas sinto cólicas e menstruação com muito fluxo, gostaria de saber o custo de ração de mioma

  24. Pina says:

    Boa Noite o custo varia consoante as dimensoes do mioma, se não tiver nenhum seguro.
    Mais detalhes via email se precisar.
    s.angiografia@hslouis.pt

  25. antonio ferreira says:

    bom dia vivo em luanada a minha esposa sofre de miomas e gostaria de saber onde fica o hospital e os custos de tratamento. sendo eu cidadao portuues nao tenho problemas de estadia pq possua habitaçao em lisboa. obrigadoaguardo resposta urgente

  26. Pina says:

    Boa Tarde,

    O hospital fica no Bairro alto. A particular o custo varia consoante as dimensões do maior mioma e utero.
    Deve plajear ficar em Lisboa uma semana e meia.
    Para mais detalhes s.angiografia@hslouis.pt

  27. Manuela says:

    Boa noite. Estou a fazer medicação com esmya já estou a fazer o terceiro tratamento mas não tenho melhorias significativas após o fim dos tratamentos. Posso fazer embolização? Quanto custa? Tenho seguro de saúde (Médis). Tenho 54 anos. Obrigada

  28. Pina says:

    sera respondido por email

  29. Carla Almeida says:

    Bom dia, Dr.Pina!

    Gostaria de saber quais serão os prodecimentos para saber se é possivel fazer embolização consigo, diagnóstico e disponibilidades, por favor.

    Tenho uma ecografia com sonda que acusa algumas dezenas de fibromiomas inóperáveis,alguns já em calcificação e queria saber como procedo-passo a passo- para poder optar pela embolização, visto neste momento o meu ventre já estar dilatado como se de uma gravidez inicial se iniciasse .

    Agradeço antecipadamente a sua resposta,
    Melhores cumprimentos,
    Carla Almeida

  30. Pina says:

    Boa TArde,

    marque consulta e traga exames.
    s.angiografia@hslouis.pt

  31. Pina says:

    Carla,
    marque consulta para avaliar e traga exams
    s.angiografia@hslouis.pt

  32. Boa tarde Dr.Pina, foi diagnosticada com miomas sendo que fiz 3 ultratransvaginal o médico falou para mim que é caso de cirurgia estou arrasada sempre estiver no ginicologita fazendo a prevenção anual.eu Carla desde quando tiver este diagnóstico estou muito preocupada. Dra.que faço preventivo disse para eu espera 6 meses,eu perguntei a Dra. A onde eu faria a embolizacao que eu tinha visto na televisão sobre ela não sabia me informar. Dr.Pina me ajude por favor já fiz uma consulta por telefone só o valor a consulta do médico e R$:530,00 fora os exames ñ aceita cartão ñ facilitar para quem ganhar pouco.
    Dr.Pina eu Carla sou do RJ estou aguardando uma resposta fico grata.

  33. Simone Aparecida de F Rosa says:

    Boa noite.Dr Pina!Tenho mioma Gostaria de saber se a embolizaçao faz pelo plano da Unimed? Muito Obrigada!

  34. Pina says:

    temos acordo com a servimed, com a unimed parece-me que não. no entanto ,mande uma digitalização do cartão por email para confirmamr ff
    S.ANGIOGRAFIA@SLOUIS.PT

Deixe o seu comentário: