Fibromiomas - Imprensa escrita

Interventional News – September 2015

CIRSE Publishes practice guidelines for uterine artery embolization

CM 3 de Fevereiro- Miomas – Tratamento da esperança a 2000 mulheres

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Completam-se, em junho deste ano, 14 anos desde que João Martins Pisco realizou, pela primeira vez no Hospital St. Louis, em Lisboa, uma embolização das artérias uterinas, mas os detalhes desse dia não escapam à memória do especialista em radiologia, nem o seu desfecho feliz.

“A primeira mulher tratada tinha 33 anos e vivia no Porto. Queriam retirar-lhe o útero, mas ela queria ser mãe. Um ano e meio depois de fazer a embolização, teve o primeiro bebé. Hoje, tem um casal”, recorda ao CM João Martins Pisco, que atingiu as 2000 intervenções para embolização das artérias uterinas no dia 22 de janeiro deste ano.
A intervenção consiste na introdução de um cateter através de um orifício de 1,5 milímetros. Dessa forma, “são enviadas partículas para a zona dos fibromiomas [também designados por miomas], com as quais cortamos a circulação do sangue que os irriga”, clarifica o especialista.

 Além do tratamento de miomas, a técnica pode ser usada em casos de adenomiose, problema associado à endometriose e que consiste na presença do tecido que reveste toda a parede interna do útero na camada muscular do órgão. Ambas podem ser causa de infertilidade.

“Taxa de sucesso de 80 a 90%”

CM – Como é a recuperação destas doentes?
João Martins Pisco,  Esp. em Radiologia de Intervenção– As doentes podem ir para casa, na maioria dos casos, no próprio dia da intervenção. Não podem conduzir nesse dia nem no seguinte, e a primeira noite em casa deve ser passada em repouso. Fora isso, no dia seguinte podem fazer a sua vida normal.– Qual é a taxa de sucesso?
– Temos uma taxa de sucesso na ordem dos 80 a 90%, mas os resultados dependem sempre do número de fibromiomas, do seu tamanho e da sua localização.

– Quando é que se começam a notar melhorias?

– Há casos em que no próprio dia se nota a diminuição do volume do abdómen, mas as melhorias surgem alguns dias depois.

Miomas acabam por ser expulsos do organismo

Sem irrigação sanguínea, os miomas perdem volume e, ao fim de semanas ou até de alguns meses, saem do organismo. “É normal que haja expulsão do mioma e que nesse período a mulher sinta dores”, refere João Martins Pisco.”Quando os miomas são de grandes dimensões, pode ser necessária a ajuda de um médico ginecologista para que a expulsão ocorra sem complicações”, destaca o especialista em radiologia de intervenção. Em 2000 intervenções realizadas, João Martins Pisco conta “dois casos em que as mulheres acabaram por perder o útero devido a complicações na expulsão de miomas muito grandes”.

 

“Foi um banho de água fria” 

“Foi um banho de água fria quando a médica me aconselhou a avançar para uma cirurgia de remoção do útero. Não tenho filhos ainda e isso mudava muita coisa” conta ao CM Cláudia Guerreiro, de 40 anos, que foi alvo da intervenção em maio de 2016. Cláudia sofre de endometriose e, por associação, de adenomiose. “Neste momento, tenho a minha menstruação normal, as dores não têm comparação com as que tinha antes”, acrescenta.

 

“Tinha anemia e muitas dores”

Ana Isabel Piscarreta, de 47 anos, foi a 2000ª mulher a ser submetida a uma embolização das artérias uterinas. Neste caso, para tratar um mioma de oito centímetros. “Depois do diagnóstico, o médico disse que o plano seria retirar-me o útero para poder recuperar”, explica ao CM a rececionista num banco, em Lisboa. “Tinha muitas dores, hemorragias e sofria de anemia, mas retirar o útero não me parecia a melhor solução, havendo alternativas”, conclui.

 

 

ask4UFE- 5 de Dezembro de 2017

Could UFE Be a Fertility-Restoring Treatment Option? This Study Says Yes.

Alicia Armeli

Uterine fibroids are the most frequently seen noncancerous tumors of the female reproductive system, affecting nearly 70% of white women and over 80% of black women by age 50.1 Given their frequency, how these uterine growths impact fertility is an important topic—but one that isn’t entirely understood.

Just as important as understanding how this condition may affect your ability to conceive is choosing a fibroid treatment that protects it. Currently, surgically removing fibroids—a procedure called myomectomy—is considered the only treatment recommended to women thought to suffer from fibroid-related infertility. But according to a study published in the journal Radiology, minimally invasive uterine fibroid embolization (UFE) may help restore fertility in women with uterine fibroids who were previously unable to conceive.2

“Exploring UFE as a treatment option for women who desire pregnancy is of major importance,” explains João Martins Pisco, MD, PhD, from the Department of Interventional Radiology at Saint Louis Hospital in Lisbon, Portugal, and study co-author. “It’s a minimally invasive technique performed under local anesthesia with shorter hospital stay.”

Unlike surgery, UFE only requires a small puncture in the wrist or groin area. A doctor called an interventional radiologist then inserts a small tube called a catheter. With the use of real-time imaging, the catheter is guided through the arteries that lead to the uterine arteries. Tiny particles called embolic are injected into the uterine arteries, blocking blood flow to the fibroids. This process, called embolization, leaves fibroids without a blood supply, causing them to gradually shrink over time.

Even though UFE is less invasive than surgery, it still isn’t fully supported by the medical community as a fibroid treatment option for women wanting to become pregnant. Concerns the procedure may impede circulation to the uterine lining and the ovaries has categorized UFE as a treatment option only for women who don’t desire future pregnancy.

To gain more knowledge on this issue, Dr. Pisco and his colleagues examined pregnancy rates following UFE among 359 women with fibroids and/or adenomyosis who were previously unable to conceive.2 Adenomyosis causes the inner uterine lining to abnormally grow into the wall of the uterus, which can also negatively impact fertility.

Of the women participating in the study, 160 underwent partial embolization—a technique where only the small vessels are embolized, leaving the large vessels intact—instead of conventional UFE to potentially better preserve fertility.2 Conventional UFE embolizes all uterine artery branches.

All women were followed up for an average of almost 6 years.2 During this time, 149 women became pregnant (41.5%) at least once, and 131 women gave birth to 150 babies. For over 85% of these women, it was their first pregnancy. Since the time of writing the study, more pregnancies and newborns have been recorded. Obstetric complication rates were low at 23.1% for conventional UFE and 14.6% for partial UFE; however, it was noted that these rates are comparable with rates of the general population.

Neither conventional nor partial UFE seemed to negatively affect fertility but instead may have restored it. “Several of these women weren’t able to conceive despite having been submitted to IVF and many to myomectomy,” Dr. Pisco says. “They were only able to conceive after a UFE procedure.”

What’s more, UFE had a clinical success rate of almost 79% in treating fibroid-related symptoms, such as heavy menstrual bleeding and pelvic pain and pressure.2 Even though partial UFE only embolizes small artery branches, it still cut off blood supply to the dominant fibroid by more than 90% and wasn’t linked with higher rates of repeat intervention. Throughout the study, UFE was repeated in 28 women whose MRI scans showed incomplete treatment, with 11 of these patients going on to get pregnant for the first time.

This is good news especially as research in this area continues. Partial embolization might be able to reduce blood supply to the fibroids without limiting circulation to the uterus and ovarian arteries, potentially allowing for a better pregnancy rate and lower complication rate.2 A study comparing partial and conventional UFE is the next step.

Giving women who want to protect their fertility or restore it, as Dr. Pisco mentions, is important particularly for those who aren’t the best candidates for myomectomy or who have had no prior success with the surgery. “UFE is the only effective option when a woman has multiple fibroids or fibroids that are very large,” Dr. Pisco notes. Myomectomy may also be difficult if large fibroids are located within the uterine wall—a type called intramural—or just under the inner uterine lining—a type called submucosal.2 For these patients, having UFE as an option is essential.

In this study, an increased likelihood of pregnancy following UFE was linked to having a dominant submucosal fibroid as well as when UFE restricted fibroid blood supply by 90% or more, which both conventional and partial approaches are capable of doing.2 Treating fibroids to this degree, the study explains, stops them from growing and allows them to continue to shrink during pregnancy.

Whether UFE holds a place as a viable treatment for women desiring pregnancy is still being investigated. But with UFE research constantly unfolding, the number of options we have is increasing, as is our hope for something better.

ABOUT THE AUTHOR   Alicia Armeli is a Freelance Writer and Editor, Registered Dietitian Nutritionist, and Certified Holistic Life Coach. She has master’s degrees in English Education and Nutrition. Through her writing, she empowers readers to live optimally by building awareness surrounding issues that impact health and wellbeing. In addition to writing, she enjoys singing, traveling abroad, and volunteering in her community. She is a paid consultant of Merit Medical.

ABOUT THE DOCTOR   João Martins Pisco, MD, PhD, is director of interventional radiology at St. Louis Hospital, chief radiologist at Hospital Pulido Valente, and professor of radiology at New University of Lisbon in Lisbon, Portugal. He is a world-renowned expert in embolization procedures and treats patients all over the globe. In addition to his practice, Dr. Pisco lectures regularly at international medical conferences and has written thousands of published book chapters and papers.

REFERENCES

  1. Baird, D. D., Dunson, D. B., Hill, M. C., et al. (2003). High cumulative incidence of uterine leiomyoma in black and white women: Ultrasound evidence.Am J Obstet Gynecol, Jan; 188(1), 100–107.
  2. Pisco, J. M., Duarte, M., Bilhim, T., et al. (2017). Spontaneous pregnancy with a live birth after conventional and partial uterine fibroid embolization. Radiology, Oct; 285(1):302-310.

13 de Junho

Conferência de Imprensa com os EUA sobre: Embolização de Fibromiomas Uterinos,  Auxiliar a restaurar a Fertilidade.

 

ATLAS SAUDE  19-10-2016

” Embolização de Fibromiomas Preserva a Fertilidade”

cci20102016 cci20102016_0001

Viva Mais Saude Viva Melhor – N.º 14 – Abril 2016

PROF PISCO-page-001 PROF PISCO-page-002 PROF PISCO-page-003

Boa Forma- Janeiro  de 2005

CCI18012017

 

Conferencia de Imprensa durante o Congresso SIR em Tampa 14-03-2010Wall Street Journal – 24 Agosto 2004

Tratamento Silenciado
“Ginecologistas amiúde não citam Procedimento Menos Invasivo para tratar Fibromas, Território de outros Especialistas.”
ler notícia

Medis Notícias – Outubro 2004

Prof. Doutor João Martins Pisco – Um radiologista de intervenção
“Foi no ano de 1980 que o Prof. Doutor João Martins Pisco introduziu em Portugal a radiologia de intervenção, tendo sido o pioneiro de várias técnicas, nomeadamente a embolização; angioplastia; fibrinolise selectiva; quimioembolização; colocação de filtros na veia cava inferior; escleroterapia de varicocelo e da veia ovárica, e, por fim, a embolização das artérias uterinas.”
Medis Notícias - Outubro 2004

Correio da Manhã – 14 Novembro 2004

Matar os tumores à fome
“Já chegou a Portugal o tratamento para pôr fim aos fibriomiomas uterinos sem recurso à cirurgia e sem dor.”
Correio da Manhã - 14 Novembro 2004 - Matar os tumores à fome Correio da Manhã - 14 Novembro 2004 - Matar os tumores à fome

Mulher Moderna – 17 Novembro 2004

Técnica revolucionária elimina fibromiomas
“Denomina-se embolização uterária e trata-se de uma nova técnica de radiologia que serve para tratar tumores que nascem no interior do útero”
Mulher Moderna - 17 Novembro 2004

CNN – 20 Novembro 2004

Rice ‘resting comfortably’ after surgery
“WASHINGTON (CNN) — National security adviser Condoleezza Rice, President Bush’s nominee to be the next secretary of state, is doing well after successful surgery, Jim Wilkinson, deputy national security advisor, told CNN Friday.”
Ler notícia

Carta à RTP – 18 Janeiro 2005

Miomas sem razões para ter medo
Ler notícia

Activa – Fevereiro 2005

Miomas sem razões para ter medo
“Calcula-se que uma em cada quatro ou cinco mulheres tem miomas uterinos. Incómodos, mas geralmente inofensivos, saiba o que são e como se tratam.”
Activa - Fevereiro 2005

Notícias Médicas – 2 Março 2005

Fibromiomas Uterinos – Tratamento por radiologia de intervenção
“Os Fibromiomas ou Miomas Uterinos afectam entre 20 a 40% das mulheres com idade superior a 35 anos, podendo ser múltiplos e, conforme a sua localização, intramurais, submucosos e sub serosos, sendo o diagnóstico feito num exame ginecológico, confirmado por ecografia ou ressonância magnética. A terapia convencional pode ser medicamentosa, por recurso às hormonas, mas de resultados temporários e cirúrgicos, por Miomectomia ou Histerectomia, com pesados efeitos secundários a nível orgânico e psicológico. Surgiu uma nova alternativa terapêutica, denominada Embolizaçãodas Artérias Uterinas, técnica do foro da Radiologia de intervenção, que consiste em interromper a circulação sanguínea que irriga os fibromiomas, com preservação do útero e da fertilidade, sob anestesia local e eliminando os sintomas em cerca de 90% dos doentes. O internamento varia entre as 24/48 horas, podendo a doente retomar a sua actividade uma semana depois da intervenção. A Embolização das Artérias Uterinas está a ser efectuada no Hospital De S. Luís, em Lisboa, pelo Prof João Martins Pisco(…)”
Notícias Médicas - 2 Março 2005 Notícias Médicas - 2 Março 2005 Notícias Médicas - 2 Março 2005

Tempo Medicina – 7 Março 2005

Alternativa à histerectomia com preservação da fertilidade
“Frequentes em cerca de 20 a 40% das mulheres com mais de 35 anos de idade, os fibromiomas uterinos são complicações que, por exemplo nos EUA, levam a que sejam realizadas, por ano, cerca de 250 mil histerectomias. Mas existe alternativa a esta intervenção radical, também no nosso país.”
Tempo Medicina - 7 Março 2005

Diário Notícias – 11 Abril 2005

Radiologia tem sucesso a tratar fibromiomas
“Hospital de S. Louis pratica embolização mantendo útero e hipóteses de gravidez.”
Diário Notícias - 11 Abril 2005

Médico de Família – Abril 2005

Técnica para tratar fibromiomas preserva útero
“O Hospital S. Louis disponibiliza uma intervenção para o tratamento de fibromiomas sintomáticos, que se elimina com uma alternativa à histerectomia.”
Médico de Família - Abril 2005

O Independente – 20 Maio 2005

Pesadelo cor-de-rosa
“O pior inimigo das mulheres em idade fértil chama-se fibromioma. Antes que se ponha a hipótese de perder o útero, avalie as possibilidades de submeter-se a uma cirurgia menos radical e com menores efeitos psicológicos.”
Médico de Família - Abril 2005

O Independente – 1 Julho 2005

Adeus fibromiomas
Opinião de João Martins Pisco
O Independente - 1 Julho 2005

Notícias Médicas – 20 Julho 2005

Embolização das artérias uterinas nos fibromiomas
“O avanço cientifico que constitui a terapia dos Fibromiomas por embolizaçao das artérias uterinas justifica plenamente que voltemos a abordá-la, com um artigo do pioneiro da utilização desta técnica em Portugal, Prof. João Martins Pisco, na sequencia da reportagem publicada em Notícias Médicasnº2852, de 2 de Março de 2005.”
Notícias Médicas - 20 Julho 2005 Notícias Médicas - 20 Julho 2005 Notícias Médicas - 20 Julho 2005 Notícias Médicas - 20 Julho 2005

Extracto de carta enviada à MAC – 25 Agosto 2005

Relato de uma doente sobre tratamento bem sucedido no Hospital St. Louis
Extracto de carta enviada à MAC - 25 Agosto 2005

Medicina e Saúde – Agosto 2005

Cortar com os fibromiomas
“A existência de pequenos tumores benignos irrigados no útero pode ser eliminada através da embolização uterina. Sem dor, com menos efeitos secundários, garantindo à mulher a hipótese de engravidar.”

Correio da Manhã – 18 Setembro 2005

Salvar o útero dos miomas
“A falta de informação leva a que a maioria dos ginecologistas não recomende uma técnica inovadora, que existe há um ano no País e que ajuda milhares de mulheres com miomas.”

Mulher Moderna – Setembro 2005

Tratamento inovador elimina fibromiomas sem dor
“Já se faz em Portugal um tratamento que promete acabar com os fibromiomas sem recorrer à histerectomia. Uma técnica inovadora, indolor e com menos efeitos secundários do que a operação convencional.”

Patient Care – Outubro 2005

Embolização das artérias uterinas: terapêutica alternativa eficaz para os fibromiomas
“A EAU (Embolização das Artérias Uterinas) representa uma nova e importante alternativa no tratamento dos fibromiomas sintomáticos, sendo um procedimento minimamente invasivo, com baixa mortalidade, efectivo e seguro.”
Este foi considerado o melhor artigo durante o ano de 2005, pelo que lhe foi atribuído o 1º prémio.
Patient Care - Outubro 2005 - 1 Patient Care - Outubro 2005 - 2 Patient Care - Outubro 2005 - 3 Patient Care - Outubro 2005 - 4

Revista Ana – 25 Novembro 2005

Nova técnica elimina fibromiomas
“Já chegou a Portugal uma inovadora forma de eliminar os fibromiomas. Sem dor e sem remoção do útero, esta cirurgia promete dar resposta a uma das principais doenças femininas.”
Revista Ana - Nova técnica elimina fibromiomas 1 Revista Ana - Nova técnica elimina fibromiomas 2

Notícias Médicas – 11 Janeiro 2006

Encontro sobre embolização uterina
Noticias Médicas - Encontro sobre embolização uterina

Notícias Médicas – 25 Janeiro 2006

Encontro sobre embolização uterina a realizar a 11 de Fevereiro.
Noticias Médicas - Encontro sobre embolização uterina a realizar a 11 de Fevereiro.

Jornal de Notícias – 11 Fevereiro 2006

Especialistas divididos com tratamento de tumor uterino
JN - Especialistas divididos com tratamento de tumor uterino

Público – 11 Fevereiro 2006

Mulheres unem-se e criam associação para a preservação do útero
“Mais de 150 portuguesas foram submetidas a técnica inovadora de miomas.” (Testemunha)
Publico - Mulheres unem-se e criam associação para a preservação do útero

Jornal de Notícias – 12 Fevereiro 2006

Técnica de embolização ainda com custos elevados
JN - Técnica de embolização ainda com custos elevados

Revista Visão – 2 Fevereiro 2006

Adeus “Saco de batatas”
“As mulheres com miomas no útero já podem tratar-se, sem recorrer à cirurgia. E manter-se férteis.”
Revista Visao - Adeus “Saco de batatas”

Revista Maria – 20 a 26 Março 2006

Eliminar miomas sem “agredir” a mulher
“Remover o útero e fazer uma histerectomia são processos invasivos, que podem deixar marcas ao nível psicológico. A embolização uterina é um método eficaz, que põe fim ao sofrimento.”
Revista Maria - Eliminar miomas sem “agredir” a mulher

Tempo Medicina – 12 Abril 2006

Encontro sobre embolização uterina
“Fazer uma avaliação de 150 casos de fibromiomas tratados por embolização uterina foi o objectivo de uma reunião realizada no passado dia 11 de Fevereiro, organizada por um grupo de doentes intervencionadas com esta técnica.”
Tempo Medicina - Encontro sobre embolização uterina 1 Tempo Medicina - Encontro sobre embolização uterina 2 Tempo Medicina - Encontro sobre embolização uterina 3

Boa Forma – Abril 2006

Acabe com os miomas
“Recentemente introduzido em Portugal, há um novo método que surge como alternativa aos tratamentos hormonais e às cirurgias, as quais, até agora, eram a única forma de acabar com os miomas…”
Boa Forma - Acabe com os miomas 1 Boa Forma - Acabe com os miomas 2

Correio da manhã – 20 Julho 2006

Anestesia com agulhas para tumores no útero
Tratamento a tumores no útero demora poucos minutos e revela-se eficaz.
Anestesia com agulhas para tumores no útero

Revista Saúde e Bem-estar – Julho 2006

Embolização das artérias uterinas – Saúde no feminino
Respostas a perguntas pelo Prof. Dr. João Martins Pisco, Radiologista de Intervenção – Hospital de Saint Louis.
Revista Saude e Bem-estar - Embolização das artérias uterinas – Saúde no feminino 1 Revista Saude e Bem-estar - Embolização das artérias uterinas – Saúde no feminino 2

Expresso – 19 Agosto 2006

Uma questão de útero
“A embolização das artérias uterinas é uma técnica que permite evitar a remoção do útero. Foi esta a intervenção a que Maria se submeteu, em 2004. Dois anos depois está grávida”
Expresso - Unica - Uma questão de útero

Mulher Moderna – 18 Setembro 2006

Acupunctura substitui anestesia
“Portugal é o pioneiro no tratamento de embolização uterina sem analgésicos, que possibilita às mulheres manterem-se férteis, Agora, com a acupunctura, acabaram-se as dores”
Mulher Moderna - Acupunctura substitui anestesia 1 Mulher Moderna - Acupunctura substitui anestesia 2

Revista Visão – 16 a 22 Novembro 2006

Embolização das artérias uterinas nos fibromiomas
Revista Visao - Embolização das artérias uterinas nos fibromiomas 1 Revista Visao - Embolização das artérias uterinas nos fibromiomas 2

Jornal Destak – 21 Novembro 2006

Tratar os miomas com ajuda da acupunctura para evitar anestesia
Jornal Destak - Tratar os miomas com ajuda da acupunctura para evitar anestesia

Revista Nova Gente – 25 Novembro 2006

Acupunctura ajuda a tratar fibromiomas – Tumores no útero têm nova solução
“Já não é necessário retirar o útero para tratar fibromiomas. Uma cirurgia, aliada à acupunctura, resolve o problema em poucas horas e por 3700 euros.”
Revista Nova Gente - Acupunctura ajuda a tratar fibromiomas – Tumores no útero têm nova solução

Revista Saúde e Bem Estar – Dezembro 2006

Acupunctura substitui anestesia tradicional no tratamento dos miomas uterinos
Revista Saude e Bem-estar - Acupunctura substitui anestesia tradicional no tratamento dos miomas uterinos

Tempo Medicina – 5 Março 2007

Embolização uterina tema de encontro
Tempo Medicina - 5 Marco 2007

Revista Visão – 15 Março 2007

Filhos da Medicina
“Primeiras mulheres que trataram miomas por embolização vão ter bebés”.
Visao - Filhos da Medicina

Tempo Medicina – 26 Março 2007

Uma alternativa à histerectomia
Embolização das artérias uterinas mostra resultados – Uma alternativa à histerectomia.
Tempo Medicina - Uma alternativa à histerectomia

Saúde e bem- estar – Abril 2007

saude-abril-2007-page-001-gfddf

Notícias Médicas – 11 Abril 2007

II Encontro no Hospital Saint Louis – Embolização das artérias uterinas
Resultados de três anos no tratamento de Fibromiomas.
II Encontro no Hospital Saint Louis – Embolização das artérias uterinas

Saber Viver – Maio 2007

Operação esperança
“A técnica que permite tratar tumores benignos no útero, preservando a fertilidade feminina”.
Saber viver - Operação esperança 1 Saber viver - Operação esperança 2

Correio da Manhã – 14 Maio 2007

Técnica trata tumores
Correio Manha - Técnica trata tumores

Público – 14 Maio 2007

Portugal celebra protocolo com Meiji
Publico - Portugal celebra protocolo com Meiji

Jornal do Centro de Saúde – Agosto 2007

Embolizações uterinas no Hospital Saint Louis
Jornal Centro Saude - Embolizações uterinas no Hospital Saint Louis

Correio da Manhã – 21 Outubro 2007

Técnica salva o útero
“Chama-se embolização uterina e é usada para extrair miomas. Evita a histerectomia e permite a gravidez”.
Correio da Manhã - Técnica salva o útero

Correio da Manhã – 17 Março 2008

Mulheres com miomas no útero. Embolização dá nova esperança.
Correio da Manhã - Mulheres com miomas no útero. Embolização dá nova esperança.

Notícias Médicas – 7 Maio 2008

Embolização das Artérias Uterinas nos Fibromiomas
“Realizado o III Encontro sobre os resultados de quatro anos de intervenção”.
Embolização das Artérias Uterinas nos Fibromiomas Embolização das Artérias Uterinas nos Fibromiomas 2

Jornal Expresso – 7 de Junho

Mais opções para tratar tumores
“Tratamento de miomas, forma de tumor benigna, tem desde à quatro anos uma técnica que ainda é pouco aplicada por cá”.
Expresso - Mais opções para tratar tumores

Diário de Noticias – 13 de Julho de 2008

Hospital anestesia com acupunctura
“Redução de efeitos adversos da anestesia tradicional é um objectivo”.
DN - Hospital anestesia com acupunctura

O Primeiro de Janeiro – 13 de Julho de 2008

Anestesia feita por acupunctores
“A médica de clínica geral e familiar Isabel Brito entrou ontem no bloco de operações como paciente e seguiu quase todas as convenções associadas a uma cirurgia. Mas só até ao momento da anestesia, que foi feita apenas com… agulhas.”
Anestesia feita por acupunctores

Correio da Manhã – 13 Julho 2008

Pioneira: Unidade em Lisboa substitui anestesistas por acupunctores.
“Quando as agulhas fazem de anestesia.”
Correio Manha - Pioneira: Unidade em Lisboa substitui anestesistas por acupunctores.

Diário dos Açores – 15 de Julho de 2008

Pacientes de hospital de Lisboa preferem ser anestesiados có com … agulhas.
Pacientes de hospital de Lisboa preferem ser anestesiados có com … agulhas.

Flor de Lótus – Julho 2008

Tratamento inovador de fibromiomas
“O que são fibromiomas?
Os fibromiomas, leiomiomas ou miomas são tumores benignos que nascem nas paredes do útero. A sua dimensão pode ir de alguns milímetros a mais de 20 cm. Entre 20 a 40% das mulheres com mais de 35 anos desenvolvem um ou vários fibromiomas.”
Tratamento inovador de fibromiomas

Flor de Lótus – Agosto 2008

Tratamento inovador de fibromiomas
(continuação do artigo do mês anterior)
Tratamento inovador de fibromiomas

100% Natural – 8 Dezembro 2008

Segunda opinião
Antes os miomas eram tratados com cirurgia. Mas hoje é possível preservar o útero e manter a fertilidade. Sem cirurgia e sem dor, este tratamento alternativo oferece agora a possibilidade de anestesia por acupunctura.
100natural - Segunda opinião 100natural - 100natural - Segunda opinião 2

Negócios Aqui acontece! – Dezembro 2008

Hospital anestesia com acupunctura
Hospital anestesia com acupunctura

Performance – Dezembro 2008

Segunda opinião
Antes os miomas eram tratados com cirurgia. Mas hoje é possível preservar o útero e manter a fertilidade. Sem cirurgia e sem dor, este tratamento alternativo oferece agora a possibilidade de anestesia por acupunctura.
Performance - Segunda opinião 1 Performance - Segunda opinião 2

Tribuna da Madeira – 28 de Fevereiro de 2009

A Embolização é um tratamento simples e evita a castração da mulher.
A Embolização é um tratamento simples e evita a castração da mulher.

Perspectiva do Jornal Público – 18 de Março 2009

Não me tirem o útero.
Não me tirem o útero 1 Não me tirem o útero 2 Não me tirem o útero 3 Não me tirem o útero 4 Não me tirem o útero 5

Notícias Médicas – 28 de Março de 2009

IV Encontro sobre Embolização de Fibromiomas Uterinos.
IV Encontro sobre Embolização de Fibromiomas Uterinos

Perspectiva do Jornal Público – Abril de 2009

“Não me tirem o útero! …”, um livro em águas turvas
“Não me tirem o útero! …”, um livro em águas turvas

Livro “Não me tirem o útero”, de Pedro Laranjeira

Nas livrarias a 01 de Abril de 2009
É um excelente livro, barato, que está a ser traduzido em seis línguas, com óptima informação, de leitura fácil e que se recomenda a todas as doentes portadoras de miomas.
Livro

Uterine Artery Embolization for fibroids

Capitulo do livro Peripheral Vascular Intervention, pagina 692 – 698
2ª Edição – Edil. Richard Heuses e Michel Henry Informa 2008 UK Ltd.

Correio dos Açores – 30 de Agosto de 2009

Dez açorianas trataram tumores do útero em clínica de Portugal continental

Uterine fibroid embolization under electroacupuncture

Interventional News, August – October 2009 Issue 35 pag.6
Uterine fibroid embolization under electroacupuncture

Doctor’s Guide

Pregnancy Success Rates High After UFE in Portuguese Study: Presented at SIR

Interventional News

Uterine fibroid embolization shows fertility rates comparable to myomectomy

Medpage Today

SIR: Pregnancy Possible After Fibroid Embolization

Press Release

EMBARGOED FOR RELEASE UNTIL MONDAY, MARCH 15, 2010, 9 A.M. (Eastern)

                                                                     

(FINAL DRAFT) Rock-a-bye Baby: Uterine Fibroid Embolization Shows Fertility Rates Comparable to Myomectomy

First Global Study Indicates Comparable Fertility Rates for Minimally Invasive UFE and “Gold Standard” Surgical Myomectomy for Women Who Want to Have Children After Uterine Fibroid Treatment

TAMPA, Fla. (March 15, 2010)—Uterine fibroid embolization, a minimally invasive interventional radiology procedure that blocks blood supply to treat painful uterine fibroids, has a comparable fertility rate to myomectomy, the surgical removal of uterine fibroids, for women who want to conceive, according to the first study on the subject released at the Society of Interventional Radiology’s 35th Annual Scientific Meeting in Tampa, Fla.

“This study is significant because it shows comparable fertility rates between the two primary uterus-sparing treatments widely available to treat fibroids: uterine fibroid embolization (UFE) and surgical myomectomy, which is considered the gold standard for symptomatic fibroids in women who wish to conceive,” said João Martins Pisco, an interventional radiologist at St. Louis Hospital in Lisbon, Portugal. “These results are surprising because other studies have favored surgical myomectomy over UFE for women who want to conceive. In this study of 743 women, UFE had a fertility rate of 58.1 percent, which is comparable to surgical fibroid removal (myomectomy), which has a fertility rate of 57 percent,” noted Pisco. “Our study proves that UFE not only allows women who were unable to conceive to become pregnant but also allows them to have normal pregnancies with similar complication rates as the general population in spite of being a high risk group,” he added. “In the future, UFE will probably be a first-line treatment option even for women who wish to conceive and are unable due to the presence uterine fibroids,” he noted.

Uterine fibroids are benign tumors in the uterus that can cause prolonged, heavy menstrual bleeding that can be severe enough to cause anemia or require transfusion, disabling pelvic pain and pressure, urinary frequency, pain during intercourse, miscarriage, interference with fertility and an abnormally large uterus resembling pregnancy. Twenty to 40 percent of American women 35 and older have uterine fibroids, and nearly 50 percent of premenopausal African American women have fibroids of a significant size.

An increasing number of women are delaying pregnancy until their late thirties, which is also the most likely time for fibroids to develop, said Pisco. There is conflicting evidence in the medical literature regarding the impact of fibroids on pregnancy; however, the risk and type of complication appear to be related to the size, number and location. Women may not know they have fibroids (asymptomatic) and undergo in vitro fertilization treatments—rather than getting treatment for fibroids. “We want women to know that uterine fibroids may be a cause of infertility, that their treatment is mandatory and that UFE may be the only effective treatment for some women,” said Pisco.

The conventional treatment of uterine fibroids in patients who wish to become pregnant is myomectomy, which is surgical fibroid removal. This treatment is usually effective, particularly if the fibroids are in small number and of small or medium size. UFE, which has a lower complication rate than myomectomy, may be performed if a woman has many fibroids or large-sized fibroids and a gynecologist cannot rule out a hysterectomy (uterus removal) during myomectomy or if myomectomy is unsuccessful.

In the Portuguese study, most women opted for UFE as a fertility treatment after failure of myomectomy or in vitro fertilization or because hysterectomy was the only suggested option. Of the 743 patients who received UFE treatment, 74 wanted to conceive and had been unable. Of these 74 women, 43 or 58.1 percent (average age, 35) became pregnant; the time between UFE and conception ranged from 2 to 22 months. At this time, there have been 36 completed pregnancies, resulting in 30 births (83.3 percent); seven women are still pregnant.

“Most of the pregnancies after uterine fibroid embolization had good outcomes with few complications. The complication rate of the pregnancies was expected to be higher than the general population because these were high-risk patients who had already undergone fertility treatments and were unable to conceive,” said Pisco. “However, the percentage of the spontaneous abortions (11.1 percent), pre-term delivery (10.0 percent) and low birth weight (13.3 percent) was the same as the general population,” he stated.

Uterine fibroid embolization is performed by interventional radiologists. These physicians are board certified and fellowship trained to perform this and other types of embolization and minimally invasive targeted treatments. An interventional radiologist makes a tiny nick in the skin, about the size of a pencil tip, and inserts a catheter into the femoral artery. Using real-time imaging, the physician guides the catheter through the artery and then releases tiny particles, the size of a grain of sand, into the blood vessels feeding the fibroid, cutting off its blood flow and causing it to shrink and symptoms to subside. Most women return home the same day and can resume normal activities within two to five days afterwards.

Myomectomy is usually major surgery that involves cutting out the biggest fibroid or collection of fibroids and then stitching the uterus back together. Most women have multiple fibroids, and it is not physically possible to remove all the fibroids because it would remove too much of the uterus. While myomectomy is frequently successful in controlling symptoms, the more fibroids the patient has, generally, the less successful the surgery. In addition, fibroids may grow back. Because of this, myomectomy surgery often needs to be repeated.

This was a small retrospective study based on patients being treated for fibroids by UFE in a single institution, said Pisco. He said that larger, multicentered, randomized prospective studies are needed comparing UFE and myomectomy.

More information about the Society of Interventional Radiology, interventional radiologists and uterine fibroid embolization or UFE can be found online at www.SIRweb.org.

        Abstract 50: “The Outcome of Pregnancy Following Uterine Fibroid Embolization,” J.M. Pisco,  M. Duarte and  T. Bilhim, all at  St. Louis Hospital, Lisbon, Portugal, and the Faculty of Medical Sciences, New University of Lisbon, Lisbon, Portugal, SIR 35th Annual Scientific Meeting March 13–18, 2010, Tampa, Fla.. This abstract can be found at www.SIRmeeting.org.

Conferencia de Imprensa durante o Congresso SIR em Tampa – 14-03-2010

Correio da Manhã – 25 de Julho de 2010

Embolização para mil

 

 

 

 

 

 

 

 

Visão Sociedade -11 de Fevereiro de 2010

cci09012017_0001

 

Correio da Manhã – 16 de Setembro de 2012

Revista Chocolate Setembro 2012

Revista Chocolate Setembro 2012

Caras Angola Outubro 2014

caras 1pa-page-001

caras 2pa-page-001

Correio da manha de 31 de Maio de 2015

Apresentação2-page-001

 

Lux – 18-03-2016

Lux 18-03

 

Saúde Flor de Lótus- Agosto/Setembro 2016

saude-2

 

 

Partilhe este conteúdo

Comentários: 19

  1. joão maria alves almeida says:

    quantos casos de tratamentos à próstata por embolização já relizou o prop. Pisco? Quais os resultados?

  2. Teresa Brito says:

    tenho miomas e gostaria de saber como marcar consulta com o dr. Martins Pisco para poder saber até que ponto poderei fazer o tratamento

  3. elizabetep says:

    Exma. Sra.

    Deverá marcar consulta pelo nº 213216500/57.

  4. antonio maria campos morais says:

    bom dia! desejava saber se a minha esposa pode recorrer ao vosso hospital para travar o crescimento de um fibroma que tem 14 por 13 por 9 (medidas vistas a traves de R.M) pelo metodo de embolizaçao. a minha esposa tem 46 anos. muito obrigado.

  5. elizabetep says:

    Prezado Antonio,

    Marque consulta pelo nº 21.3216500/57 para avaliação e seja portador dos exames.

    Melhores cumprimentos,
    João Martins Pisco

  6. Maria de Lourdes says:

    Bom dia Caro Dr,
    Vivo em Angola, e quero saber se poderei marcar consulta para meu marido atravez do telefone? ou se poderá ser por Email?

    ele tem problemas na prostata desde aos 40 anos, hoje tem 50 anos. Os medicos cá têm dado somente comprimidos que aliviam, passado alguns meses torna a ter dores.

  7. JORGE AUGUSTO CORRÊA LOPES says:

    Há dois anos meu PSA estava 9.8. Fiz 3 biopsias desde então e nada foi detectado. Já fiz tratamento com o Avodart e o meu PSA abaixou pouco. Agora tomo antibiótico e meu PSA total está 6.53 e o PSA livre 5.36.
    Sinto dores no abdomen e tenho dificuldade em urinar. NO caso de precisar operar , onde posso encontrar uma técnica como a sua aqui no Brasil, moro no Rio de Janeiro.Quanto custaria, se eu pudesse me locomover para Portugal.
    Por favor, me oriente.(tenho 57 anos)

  8. Joaquina says:

    A mais de 6 anos que me foi diagnosticado miomas multiplos antes de operar queria ter ainda um filho e foi o que aconteceu,agora as coisas estao muito dificeis de aguantar dores intensas antes e durante o periodo mestrual que é muito abundante,gostaria de fazer uma embolizaçao.Como vivo em Angola,gostaria de ter infprmaçao qto ao custo da operaçao e o pos operaçao se possivel

  9. AMELIA JUNIOR DE ALMEIDA says:

    sou angolana ja fiz embolizaÇao no Brasil gostaria de consultar com o doutor para saber como me encontro ou se os miomas uterinos se reduziram.como marcar esta consulta?

  10. Carlos Alipio de Almeida says:

    Na cidade do Rio de janeiro / S. Paulo – Brasil, tem este tratamento desenvolvido pelo Prof.Prisco.
    atenciosamente,
    Carlos Alipio

  11. elizabetep says:

    Deve marcar consulta através do número 213216557

  12. elizabetep says:

    Marque consulta através do número 213216557

  13. elizabetep says:

    Deve permanecer em Portugal cerca de 2 semanas para fazer exames e proceder ao tratamento, o mesmo é feito no mesmo dia e sem necessidade de internamento.
    Informações mais detalhadas pelo telefone 213216557

  14. guilman says:

    tengo HBP, me han hecho biopsia y parece que no hay cáncer, tengo 60 años y tomo actualmente tamsulosina 0,4 antes tomé Unibestan con peor resultado, mi doctor Alvarez Castelo en La Coruña, dice que debo operarme
    porque me puede dañar la vejiga, pero yo, busco una intervención que no me produzca eyaculación retrograda y
    orgasmo sin placer,despues de haber visto su descubrimiento que no parece peligroso y que no tiene efectos secundarios, me gustaría me ampliara información
    donde opera,cuanto cuesta etc, tengo un seguro privado que me cubre todo, no sé en Portugal, se llama DKV,no lo melesto más muchas gracias por atenderme.

  15. elizabetep says:

    Serán respondidas por correo electrónico

  16. Maria Salvador says:

    Boa noite Doutor querido marca um consulta contigo em Março ser possível só Angolana

  17. Pina says:

    respondida por email

  18. Oi sou de Angola tenho mioma em gravidez depois de descubrir que tinha a Dra nunca me disse que tipo de mioma era só que tinha que fazer sesariana pára aproveitar a retirar o mioma depois de fazer a sesariana ela desse que não podia tirar o mioma porque era intramural tirou a minha bebé grassas a Deus perfeita .gostaria de saber se era preciso fazer uma sesariana se não dava para fazer parto normal. Obrigado aguardo a resposta.

  19. Pina says:

    Responderemos por email

Deixe o seu comentário: