Hiperplasia Benigna da Próstata - Novo tratamento - Perguntas e respostas

O que é a próstata?

A próstata é um órgão acessório do aparelho reprodutor masculino, que tem como função a produção de um líquido pouco espesso que ajuda a conservar os espermatozóides após a ejaculação, mantendo a sua viabilização na vagina. Localiza-se por baixo da bexiga com a forma de uma castanha, sendo atravessada pela uretra, daí a interferência com a micção quando existe patologia prostática.

O que é a Hiperplasia Benigna da Próstata?

A Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP) é a doença mais frequente da próstata, muito comum em homens de meia-idade e idosos, com sintomas muito debilitantes que condicionam a qualidade de vida. Pode afectar 70% dos homens com mais de 65 anos, 80% entre 70 e 80 anos, 90% com mais de 80 anos e a quase totalidade com mais de 90 anos. Trata-se de um aumento benigno do volume da próstata, que pode obstruir as vias urinárias inferiores. Pode verificar-se ausência de sintomas durante algum tempo. Se não estiver associada a sintomas não necessita de qualquer tratamento.

Quais são os sintomas mais comuns?

Os sintomas resultam geralmente de obstrução uretral.

Estes podem ser:

– Aumento da frequência das micções com eliminação de pequenos volumes de urina; – Aumento da frequência de micções à noite; – Jacto urinário fraco; – Sensação de não ter esvaziado completamente a bexiga após urinar; – Jacto interrompido; – Urgência em urinar com dificuldade em suster a urina; – Impossibilidade em urinar com retenção urinária, levando à algaliação; – Hesitação – dificuldade de iniciar a micção; – Impotência sexual causada pela medicação. – Sangue na urina;

Estes sintomas podem ocorrer isoladamente, ou em conjunto. Podem ser leves, moderados ou severos. Há situações agudas, como a retenção urinária, levando o paciente ao hospital, para a introdução de uma sonda na uretra, esvaziando assim a bexiga.

Como é feito o diagnóstico da HBP?

O diagnóstico faz-se através de uma história clínica, que vai classificar o paciente em pouco, leve ou muito sintomático. Um exame físico detalhado, incluindo um toque rectal (exame digital através do ânus) é realizado. A dosagem do antígenio prostático específico (PSA) é de vital importância para a avaliação, pois permite a detecção precoce do cancro da próstata. Outros exames laboratoriais são geralmente solicitados, incluindo Urina II, Glicemia, Colesterol, Triglicerideos, Hemograma, V.S., Creatinina e Ureia. O paciente deve igualmente efectuar fluxograma urinário, o resíduo vesical pos-miccional e nalguns casos o estudo urodinâmico. Os possíveis exames de imagem são a ecografia pélvica e com sonda endo-rectal, para medição dos 3 diâmetros e volume da próstata. Estes exames deverão ser de qualidade, para avaliar rigorosamente a percentagem de redução do volume da próstata, pelo que serão sempre efectuados nos mesmos consultórios. A angiografia obtida por TAC permite a observação da anatomia dos vasos pélvicos e o seu envolvimento pela ateroesclerose. Tal é de grande importância, pois indica a possibilidade de efectuar a embolização ou excluir este tratamento.

Como é tratada?

Existem várias hipóteses terapêuticas, conforme a severidade dos sintomas. Os pacientes levemente sintomáticos serão acompanhados clinicamente, ficando sob observação. A terapêutica médica actual envolve os antagonistas alfa1 (alfasusina e tamsulosina) e os inibidores da 5 alfa reductase (finasteride e dutasteride), tendo indicação nas situações de sintomatologia urinária ligeira. Nos pacientes severamente sintomáticos ou naqueles que, por qualquer razão, não possam tomar os medicamentos, está indicada a cirurgia. Esta pode ser a prostatectomia por via aberta, ou a ressecção transuretral da próstata (RTPU), totalmente pela uretra. Existem vários outros métodos cirúrgicos (cirurgia a laser, termoterapia, eletrovaporização, etc), não sendo porém comparáveis em resultados com as cirurgias clássicas. A cirurgia poderá estar associada a hemorragia, com necessidade de transfusão sanguínea e a disfunção sexual com ejaculação retrógrada. A RTPU poderá estar igualmente associada a ejaculação retrógrada, na maioria dos casos. A HBP não tratada pode levar a graves complicações: retenção urinária, infecções urinárias, cálculos na bexiga e insuficiência renal.

O que a EAP envolve?

A EAP envolve o bloqueio parcial do sangue para a próstata. Por favor, veja os vídeos para entender o procedimento e ver todas as etapas.

Trata a raiz do problema?

Não tratamos a raiz do problema. Tratamos os sintomas da HBP. Apenas a prostatectomia radical pode tratar a raiz do problema, mas com muitas complicações.

A EAP pode parar o alargamento da próstata?

Podemos ou não parar o alargamento da próstata. É variável de paciente para paciente. Em 90% dos casos, a próstata diminui de tamanho, no entanto, em alguns pacientes, após alguns anos, pode aumentar de tamanho novamente.

Prevemos o quanto a próstata encolherá?

Não podemos prever o quanto a próstata encolherá.

O lobo médio da próstata encolhe?

Sim, o lobo médio pode encolher.

Podemos parar o alargamento ou recorrer no futuro?

É variável de paciente para paciente. Podemos ou não parar o alargamento e recorrentes no futuro. Não podemos prever o que acontece com todos os pacientes.

Podemos prever quando o encolhimento da próstata para?

Ninguém pode prever, e pode mudar de paciente para paciente.

Quais são os riscos do EAP?

Complicações graves são muito raras, os pacientes não pioram, embora em uma pequena percentagem, eles podem não melhorar.

 

O que é a Embolização?

A embolização efectua-se em Medicina desde a década de 60. A embolização das artérias hipogástricas tem sido tentada e descrita para tratamento de situações de hemorragia incontrolável secundária a situações oncológicas prostáticas, ou vesicais, ou a cirurgia. Nós próprios publicámos, em 1989, na revista americana «Radiology» a sua realização em hemorragias incontroláveis da pélvis por neoplasias. A embolização arterial supraselectiva para tratamento da sintomatologia urinária secundária a HBP foi a técnica utilizada num doente com hematúria persistente e descrita por DeMeritt em 2000. A embolização das artérias prostáticas (EAP) no Tratamento da Hiperplasia Benigna é uma técnica inovadora, de investigação, minimamente invasiva no alívio dos sintomas, que é realizada no Hospital de S. Louis, com menos riscos que as técnicas cirúrgicas e com bons resultados preliminares. O seu objectivo é interromper a circulação sanguínea que irriga a próstata, resolvendo o problema de forma rápida e duradoura e preservando a próstata. Sem irrigação sanguínea a próstata atrofia-se e os sintomas melhoram ou desaparecem. A equipa de Radiologia de Intervenção do Hospital Saint Louis,  depois de ter efectuado a embolização com sucesso, em mais de mil e quinhentos pacientes com fibromiomas uterinos, está agora a realizar a embolização na hiperplasia benigna da próstata. No nosso país, realiza-se no Hospital Saint Louis, desde Março de 2009, tendo já sido tratados 600 pacientes, até Janeiro 2014. Em qualquer parte do mundo, a embolização é sempre efectuada por um radiologista de intervenção, um médico que é treinado especialmente para realizar este e outros tipos de embolização com técnicas minimamente invasivas, sem necessidade de incisão, não deixando qualquer cicatriz.

Como se realiza a Embolização?

Sob anestesia local, e sem perda de sangue, efectua-se um pequeno orifício de 1.5 mm de diâmetro na virilha, através do qual se coloca um fino tubo plástico, catéter. Mediante monitorização por um aparelho de raios X digital sofisticado, o catéter é dirigido para as artérias prostáticas. Partículas embolizantes de pequenas dimensões, como grãos de areia, são então injectadas numa das artérias prostáticas, entupindo os ramos que irrigam a próstata, poupando, contudo, a artéria pudenda interna, para que o paciente possa manter a função eréctil. A embolização é depois repetida para a artéria prostática do lado oposto, através do mesmo orifício e pelo mesmo catéter. A interrupção da circulação sanguínea da próstata causa a sua atrofia, ou seja a redução de tamanho. A técnica dura geralmente entre 2 a 3 horas, estando o doente consciente e podendo mesmo visualizar o tratamento no monitor de televisão. Completada a embolização, retira-se o catéter, efectua-se compressão manual durante cerca de 5 minutos e coloca-se um pequeno penso compressivo, que deve ser mantido até à manhã seguinte. Duas horas após a embolização, o doente já se pode levantar do seu leito e deslocar-se para urinar. O Hospital St. Louis é o único centro a nível mundial, onde a embolização prostática se efectua, como tratamento de rotina na HBP. Por tal motivo, alguns médicos estrangeiros, professores de Medicina, já se deslocaram a Portugal para observar a técnica e alguns pacientes para serem tratados. O internamento dura apenas algumas horas e a quase totalidade dos pacientes vai para casa após o jantar, se a tensão arterial estiver normal, mesmo que residam a várias centenas de kms de Lisboa. Neste período, haverá um contacto permanente com a equipa médica, para avaliar queixas ou esclarecer quaisquer dúvidas.

Como surgiu a Embolização?

Desde há anos que pensava na embolização como forma de tratamento da tão frequente hiperplasia benigna da próstata. Nesse sentido, e ao longo de anos, fui contactando alguns urologistas com vista a efectuar a técnica em doentes com contra-indicação para cirurgia.

Em Outubro de 2007  faleceu o meu irmão após intervenção cirúrgica para a hiperplasia benigna da próstata. Tal facto aumentou em mim o interesse na realização da embolização.

Em Março de 2009 fui contactado por um amigo de 78 anos de idade com hiperplasia benigna da próstata, algaliado havia 6 meses, e grande depressão. Recusava cirurgia, a que já tinha sido submetido há 14,10 e 7 anos antes, e com a qual sofrera muito. Após exclusão de patologia maligna e explicação da técnica e riscos, viria a ser tratado com êxito, sendo-lhe a algália retirada 4 dias depois. Passou a urinar sem qualquer dificuldade, saiu da depressão em que se encontrava e a sua auto-estima e actividade sexual melhoraram consideravelmente.

Dado o êxito da técnica deste caso e a ausência de complicações passei a efectuar a embolização em pacientes com sintomas de hiperplasia benigna da próstata e que recusavam cirurgia.

Que exames terá de fazer para efectuar a Embolização?

Terá de fazer uma ecografia pélvica por via transrectal para avaliar o volume da próstata. A fim de assegurar a qualidade, estes exames serão sempre obtidos no mesmo consultório e pelo mesmo médico. O paciente deverá também fazer PSA a fim de excluir tumor maligno, fluxometria, resíduo vesical pos-miccional e exames de sangue de rotina (hemograma, colesterol, trigliceridos, creatinina e ureia). Por fim, se tiver indicação para tratamento, terá de realizar uma  Angiografia por TAC, para estudar os vasos pélvicos e a possibilidade de vir a efectuar a embolização. Contudo, este exame não é completamente rigoroso, pois durante a embolização podem detectar-se pequenas lesões que tinham passado despercebidas no Angio TAC.

Qual é a percentagem de êxito da Embolização?

Nos 600 doentes já tratados no Hospital Saint Louis, observou-se melhoria em cerca de 500 doentes. 65 dos doentes estavam com algália. Alguns dias após a embolização, retirou-se a algalia e presentemente todos os pacientes excepto três  urinam, sem qualquer dificuldade, e sem qualquer medicação para a próstata, excepto três. Depois de uma longa curva de aprendizagem os resultados actuais são melhores.

Quais são os riscos associados com a Embolização?

A embolização é uma técnica muito segura, contudo, podem ocorrer alguns riscos associados, como em qualquer tratamento médico, mas que são raros. Actualmente, no Hospital St. Louis, a maioria dos doentes não sente qualquer sintoma após a embolização. Alguns podem referir ligeira dor, calor ou ardor, que são facilmente controlados por medicação apropriada. Os riscos da embolização são muito inferiores aos da cirurgia. A fim de evitar riscos, os doentes, cujas artérias estejam muito envolvidas pela arteroesclerose, revelado pela Angio TAC, são excluídos. As complicações são as de qualquer cateterismo, sendo as mais frequentes, o hematoma no local da punção (20 pacientes), a infecção urinária (16 pacientes), facilmente evitada com a toma de antibióticos iniciados antes da embolização e a urina ou esperma com sangue e a cor roxa da coxa e abdomen. Contudo, estas reacções adversas desaparecem ao fim de alguns dias sem tratamento.

Será a Embolização Dolorosa?

A embolização não causa qualquer dor durante ou após o procedimento. Apenas seis dos doentes tratados referiu alguma dor durante e após o tratamento.

Quanto tempo dura a Convalescença?

No dia seguinte à embolização, o doente não deve estar acamado, podendo na maioria dos casos, retomar a sua vida normal, não devendo, contudo, conduzir. O paciente pode retomar a sua actividade profissional entre 2 a 7 dias, após o tratamento.

Como são os resultados da Embolização Avaliados?

Os resultados da embolização são avaliados pela fluxometria, resíduo vesical pos miccional, PSA e pela ecografia prostática realizadas ao 1, 3 , 6 e 12 meses após a embolização. Ao fim de 1 mês pode verificar-se uma redução do volume da próstata de cerca 10% a 30%. A melhoria ou desaparecimento dos sintomas verificar-se-á logo após a embolização ou no mais tardar depois de 1 semana. Nos 270 doentes que já tratamos por embolização verificou-se melhoria ou desaparecimento dos seus sintomas, em 230 que passaram a urinar menos frequentemente e com mais facilidade, e sem necessidade de tomar qualquer medicação.

Tem havido interesse na técnica por médicos estrangeiros?

Sim, já tivemos várias visitas de médicos que se deslocam ao Hospital Saint Louis para aprender a técnica.

Poderei ser tratado independentemente das dimensões da minha próstata?

Ao contrário da RTPU que só pode ser efectuada se a próstata tiver dimensões inferiores a 60cc, a embolização pode realizar-se mesmo em próstatas muito grandes, com volume superior a 200cc.

Será a minha potência sexual afectada?

Ao contrário da prostatectomia por via aberta, na qual alguns dos doentes ficam com disfunção sexual e ejaculação retrógrada e da RTUP, em que alguns dos doentes ficam com ejaculação retrógrada, na embolização, a função sexual não é afectada. Dos 600 pacientes tratados, a função sexual não foi afectada em nenhum, referindo cerca de um terço dos pacientes a sua melhoria.

O que acontece à próstata após a Embolização?

Com a embolização, verifica-se uma interrupção parcial da irrigação sanguínea da próstata, isto é, a próstata fica em isquémia, ou seja, privada de parte da alimentação. Como resultado, verifica-se uma redução progressiva das dimensões da próstata, que varia entre 10 e 40%, a sintomatologia dos pacientes diminui ou desaparece e a próstata deixa de crescer, o que é muito importante para o paciente. Contudo, em cerca de 20% dos pacientes a prostata pode não reduzir de dimensões apesar da melhoria dos sintomas.

Poderei tratar a HBP por Embolização?

Se tiver sintomas graves com indicação para a cirurgia e idade superior, 50 anos e não se verificarem contra-indicações, pode.

Quais são as contra-indicações da Embolização Prostática?

A ausência de sintomas é uma contraindicação. Se os sintomas forem causados por problemas de bexiga, não será tratado pois não melhorará. Em caso de duvida terá de efectuar estudo urodinâmico.

O que fazer para ser tratado?

Terá de marcar consulta  no Hospital Saint Louis. Só o deverá fazer se possuir ecografia prostática com sonda rectal, PSA e fluxograma recentes e resíduo vesica pos-miccional. Antes de marcar consulta deverá preencher inquéritos internacionais sobre os sintomas, a qualidade de vida e a função sexual. Na consulta, será observado, ser-lhe-á explicada a técnica e se for necessário, ser-lhe-ão pedidos outros exames. Se existirem dúvidas quanto à indicação da embolização será marcada uma consulta com o Urologista da equipa. Após esta consulta, deverá efectuar Angio TAC para avaliação dos vasos pélvicos e possibilidade de tratamento. Contudo, este exame tem algumas limitações pois por vezes podem verificar-se  pequenas lesões, durante o tratamento que não tinham sido detectadas no Angio TAC. Deverá efectuar nalguns casos um estudo urodinâmico a fim de antecipar os resultados da Embolização. Quando na posse deste exame, deverá deixa-lo no Hospital Saint Louis, para análise, que então será decidida a possibilidade da embolização.

 

 

 

 

 

 

 

Partilhe este conteúdo

Comentários: 67

  1. emiliamanninen says:

    O meu marido com 55 anos de idade apresenta sintomas que levam a pensar que tem hiperplasia da próstata. Ele é finlandês e faz descontos para a segurança social da finlândia ( KELA) .Precisamos de saber se em caso de o meu marido consultar um urologista que trabalhe com o Dr. Pisco e venha a ter indicação para uma embolozação da prostata se a KELA paga essas consultas.
    Atenciosamente
    Emília Manninen

  2. joaquim da fonseca says:

    Exmo Dr. Professor Martins Pisco.

    Tenho 81 anos de idade,e fiz recentemente biópsia prostática cujo diagnóstico sugere HBP versus Adenocarcinoma. Saliento também o facto de que fiz cataterismo cardiaco à três anos com sucesso. Actualmente sou cem por cento activo.
    Gostaria de colocar as seguintes questões:
    – Desejava saber se posso ser tratado por embolização.
    – Em caso afirmativo, quais os efeitos que deste tratamento possam resultar.
    – Em quanto pode importar tal tratamento.

    Atenciosamente, com os melhores cumprimentos aguardo a sua resposta, Joaquim Fonseca

  3. António Luís Rodrigues Cabral says:

    Boa tarde,
    Acabo de ler toda a informação sobre este inovador método de tratamento da HBP.
    Tenho 67 anos de idade e padeço de HBP há cerca de 10 anos e desde então que sou medicado com o Omnic 0,4 e o Permixon.
    Como sei que será quase inevitável uma intervenção cirúrgica, futuramente, quero ser observado pela vossa equipa, para saber se posso ser sujeito a este tratamento.
    Cumprimentos
    A.Cabral

  4. nilva says:

    Dr. Martins Pisco
    Boa noite!
    Meu sogro fez há 7 anos radioterapia no abdomem, pois tirou a prostata por causa do cancer.
    hoje ele tem cistite radica e querem fazer a embolização na bexiga, mas lendo seu artigo, não vi nada a respeito, gostaria de saber sua opinião, se é válido fazer esta? ou nesse caso é mais seguro tentar fazer o oxigênio hiperbárico?
    Agradeço desde já pela atenção.
    PS: no momento ele esta fazendo lavagem na bexiga.

  5. Elyeser Marcio Vieira says:

    Parabens pelo trabalho, que me parece revolucionário.

    Sou do Brasil, resido em São Paulo e hoje li toda matéria a respeito da embolização. Como tenho problema de HBP, gostaria de saber o seguinte:

    1- Previsão de custo
    2- tempo de permanência em Lisboa
    3- necessidade de retorno ao médico com que frequência

    Finalmente, gostaria de saber se no Brasil há algum médico já em condições de realizar o serviço.

    Abraços e muito obrigado pela atenção

  6. Conceição says:

    Boa tarde,

    o meu pai tem uma hipertrofia benigna com 127 g, gostaria de saber qual a sua opinião.
    O Urologista dele aconselhou-o a ser operado. O meu pai falou-se na tecnica aplicada por si e ele nao foi de opinião favoravel.
    Aconselhei o meu pai a ir a uma consulta sua mas ele ainda se encontra um bocado inseguro em relaçao a este assunto.Peço-lhe que me dê a sua opiniao para que eu o consiga aconselhar a decidir o melhor para resolver este assunto

    atensiosamente

  7. I. Sulemane Amade says:

    Tenho Hipertrofia Benigna da Prostata. Gostava de saber se o Hospital tem acordos com ADSE ou ADM. Contudo também gostava de saber quanto custa uma E A P.
    Muito obrigado pela vossa atenção.

  8. carlos fernando rojas vidal says:

    tenho 52 anos, sou medico recen casado e estou apresentando sintomas moderados de hpb tipo disuria apos a relacao sexual,diminuicao do jato urinario e nocturia. por obvios motivos nao usei remedios antiandrogenicos, so usei remedio fitoterapico prostat sem resultado importante.gostaria saber sobre possibilidade de tratamento com embolizacao pois desde meu ponto de vista e minha situacao atual seria o ideal. Espero resposta.]
    \muito obrigado e parabens por esta nova opcao terapeutica.
    Dr Carlos rojas

  9. elizabetep says:

    Exmo. Senhor,
    Qualquer questão deverá enviar um e-mail para jpisco@hslouis.pt mailto:jpisco@hslouis.pt
    Cumprimentos,

  10. Joaquim Albuquerque says:

    Boa tarde
    Tenho quase 48 anos.A cerca de um ano ando a ser medicado com Urorec e permixon atraves de coimbra diagnosticado hbp. As minhas queixas não tinham muito a ver com urinar n vezes e nunca me levanto de noite para urinar..urino 2 a 3 vezes por dia. Queixava-me e tenho fases que me queixo apesar da medicação de ardor na ponta do pénis, desconforto na barriga enfim ardor nas areas baixas. o meu exame de fluxometria não era bom. Urinava fraco. Sera que poderia ser submetido a essa tecnica e/ou aanalisar a minha situação? è que apesar de medicado ainda sofro com isto e tem a agravante de o Urorec levar a ejaculação retrogada..que para mim tem baixado um bocado a autoestima..mas tenho aguentado, tem que ser. Poderia ser consultado para ver se no meu caso essa tecnica me ajudaria??
    Cumprimentos

  11. pedro ruiz says:

    dr. gostaria de saber se a impotencia sexual tem alguma relacao com a prostata aumnetada?

  12. LUIZ C.B.L. says:

    PREZADO DR MARTINS PRISCO :
    SOU BRASILEIRO E RESIDO NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO . TOMEI CONHECIMENTO DA SUA TECNICA A MAIS DE 2 ANOS , E CONFESSO FIQUEI ENTUSIASMADO COM OS RESULTADOS . TENHO 60 ANOS E SOFRO , A PELO MENOS 5 ANOS , COM ESTA HBP . FACE A SUA GRANDE EXPERIENCIA , ESTIMARIA MUITÍSSIMO SER AVALIADO PELO SENHOR O QUE , DADA AS DIFICULDADES IMPOSTAS PELA DISTANCIA , TORNA ESSA PROVIDENCIA MUITO COMPLICADA . DESTA FORMA , GOSTARIAMOS DE SABER SE O SEU METODO CIRURGICO ESTARIA DISPONIVEL AQUI NO BRASIL E EM CASO POSITIVO , SE O SENHOR PROFESSOR PODERIA INDICAR ALGUM MÉDICO , QUE SEJA DA SUA CONFIANÇA , E QUE NATURALMENTE DOMINE ESTA SUA TECNICA , PARA QUE POSSAMOS OPORTUNAMENTE CONSULTA-LO E NOS SUBMETERMOS A ESTA ESPECÍFICA INTERVENÇÃO .

  13. José Carlos Marques says:

    Tenho quase 63 anos.

    A cerca de dois anos, ando a ser medicado com Urorec 8 mg e Finasterida com diagnostico hbp 90.

    As minhas queixas tinham muito a ver com o urinar muitas vezes e raramente me levanto de noite para urinar.Urino 2 a 3 vezes por dia. Queixo-me de ardor na ponta do pénis, desconforto na barriga e ardor nas areas baixas e continuo a queixar-me apesar da medicação. O meu exame de fluxometria não é bom, urinava fraco o meu PSA total é 1,67 e PSA livre 0,52 e 0,31.

    Será que poderia ser consultado para ver se poderia ser submetido a esta técnica, porque apesar de medicado ainda sofro com isto e tem a agravante de o Urorec levar a ejaculação retrograda, que para mim tem baixado um bocado a minha auto estima.

  14. Amílcar José Ramalhete Zacarias says:

    Boa tarde,

    tenho 48 anos e foi-me diagnosticada HBP há cerca da ano e meio. Estou a ser medicado com alfazocina e embora tenha melhorado, não resolvi o problema,que é a frequência elevada com que urino de noite (por vezes 3,4).
    Gostaria de saber em quanto fica a embolização e se o Hospital St.Louis e o Dr.Martins Pisco têm acordo com a ADSE para esse tratamento.

    Cumprimentos,

    Amílcar Zacarias

  15. Abílio M.Rodrigues says:

    Exmº.Senhor Professor Martins Pisco
    Sou eu que falo em nome do meu marido, que, creio, está com problemas de próstata e que não quer consultar o médico. Tem micções constantes, nomeadamente noctúria e, apesar de ter adquirido, junto de um farmacêutico, o Permixon, não vemos melhorias, antes pelo contrário – tem jacto urinário fraco e interrupto e nota-se inchaço na zona pélvica. Será possível proceder a um tratamento no v/ hospital. O meu marido é beneficiário dos Serviços médico-sociais da Caixa Geral de Depósitos. Será que o vosso hospital tem protocolo com estes serviços? Vivemos nos Açores.
    Gratos, desde já, pela v/atenção, enviamos os nossos respeitosos cumprimentos.

    Atenciosamente

    C. e A. Rodrigues

  16. Fernanda says:

    Exmo Sr. Professor Martins Pisco
    O meu marido foi operado à prostata (hipertofia benigna)passou a ter os chamados orgasmos secos, o esperma passou a entrar na bexiga.
    A minha pergunta é se ele ainda poderá ser pai, ou seja correrei algum risco de engravidar se não usar nenhuma contracepção? Tenho 50 anos mas, ainda não entrei na menopausa estou a tomar o Minesse por indicação médica para ver se deixo de mesntruar, pois tenho periodos ambundantes, sempre tomei o Mercilon.
    Se não tomar nada, haverá perigo de engravidar?
    Grata pela V/atenção
    Respeitosos cumprimnetos

  17. Paulinho S. Valéro says:

    Tenho 65 anos de idade. Levanto-me várias vezes a noite para urinar. Não apresento incontinência urinária. Não estou a tomar medicamento algum. Gostaria de saber: posso deslocar-me para o hospital para fazer a cirurgia? Em valores aproximados, de quando eu deveria dispor para o pagamento de todas as despesas com médico, hospital, exames. Agradeço.

  18. Manuel says:

    Boa noite Sr. Doutor
    Estou em vias de ser operado (HBP) pelo metodo tradicional,gostaria de saber da possibilidade de me deslocar junto do Sr. Dr. para a solução do meu caso pelo processo que V. Exª ministra
    Agradeço atecipadamente
    Manuel
    NB esta mensagem foi colocada em “depoimento de doentes”, penso que será aqui o local certo

  19. João Eudes Lopes says:

    Dr. João Martins Pisco. Moro no Brasil e gostaria de saber de quanto tempo e dinheiro eu deveria dispor para ir até seu Hospital, para submeter-me a esse procedimento. Agradeço antecipadamente. João Lopes.

  20. elizabetep says:

    Para se submeter ao tratamento deve dispor em média de 2 semanas pois é necessário realizar exames antes de avançar para o tratamento.
    Pode pedir informações mais detalhadas através do n+umero 213216557

  21. elizabetep says:

    Deve marcar uma consulta através do número 213216557.

  22. José ferreira guimaraes says:

    Solicito endereço do hospital St. Louis, bem como telefone e, se possivel, adiantar em quanto fica -o custo – de uma embolização.

    Obrigado.

    Ferreira

  23. elizabetep says:

    A morada do Hospital é: Rua LUz Soriano, 182 1200-249 Lisboa.Tlf: 213216557
    O preço varia de Particular para portadores de seguros.

  24. giacumuzaccara says:

    Dr. Martins Pisco. Tenho 41 anos e não apresento crescimento na próstata, porém, há um ano venho tendo sintomas relativos a HBP e que, após exames, foi constatada que decorrem da presença de um cisto de 3.5 cm e formação líquida na próstata que tem obstruído a uretra e causado elevação dos lobos medianos, fato este observado através de uma uretrocistoscopia. Gostaria de saber se os tratamentos disponibilizados pelo Hospital podem resolver o problema.

  25. elizabetep says:

    respondido por email

  26. VASCO OLIVEIRA SANTOS says:

    SOU MÉDICO,PORTADOR DE HBP E GOSTARIA DE SABER QUAIS SÃO OS PROTOCOLOS NECESSÁRIOS PARA EFECTUAR O TRATAMENTO,ASSIM COMO O TEMPO NECESSARIO PARA TER TUDO PRONTO E FAZER A INTERVENÇÃO E TAMBEM O PREÇO APROXIMADO DA MESMA,E,QUAIS SÃO OS ACORDOS EXISTENTES(SEGUROS,ADSE?)

  27. elizabetep says:

    Dr. Vasco, poderá mandar exames para o email: martinspisco@hslouis.pt ou arita@hslouis.pt afim de se fazer uma primeira avaliação ou poderá marcar diretamente uma consulta através do telefone 213216557. Existe acordo com a Médis, Advancecare, Allianz e Multicare. Com a ADSE existe unicamente protocolo para consultas. O tratamento para particulares tem um custo de 4.300€.

  28. Joao ribeiro says:

    Fiz cirurgia de hbp e gostaria de saber se ainda posso engravidar ja que nao ejaculo mais

  29. Pina says:

    vai ser respondido por email

  30. Lourdes says:

    Bom dia.
    Há algo que me preocupa muito, e se o sr puder me responder me ajudará muito.
    Fiz uma Ultrassonografia transvaginal, e meu ovário direito medindo 3,0 x 1,4 x 2,3 cm (apresentando imagem anecóica medindo 15 mm compatível com folículo dominante) Não há evidencia de líquido em fundo de saco posterior. O que significa isto?
    Minha consulta ainda não foi remarcada, me encontro aflita.

  31. Pina says:

    respondido por email

  32. Uarian Ferreira says:

    O senhor indicaria algum profissional medico no Brasil para realizar a intervenção de embolizacao da arteria prostatica?
    Qual o preco da intervencao em portugal com o dr. Martins Prisco?

  33. Daniel Moreira says:

    Boa tarde
    Chamo-me Daniel Moreira e tenho uma prostatite cronica com apenas 37 anos, foi-me diagnosticada à cerca de 4 meses após vários exames que efectuei ( 1º ecografia,2º fluxometria, 3º uretrocistoscopia, 4 º ressonância magnética e varias analises (sangue, esperma)) e variada medicação. Neste momento deixei de tomar medicação visto que não sentia nenhuma melhoria. Gostaria de saber se o seu método me pode ajudar neste problema que me tem afectado bastante em todos os aspectos, visto que não há uma semana que não passa com dor e com idas frequentes a casa de banho.
    Com o meu sincero agradecimento despeço-me cordialmente
    Cumprimentos
    Daniel Moreira

  34. Pina says:

    Iremos responder via email

  35. joao ribeiro pereira says:

    Tenho 71 anos e desde muito novo que tenho alguma dificuldade em urinar, resumindo, venho tomando há muitos anos a alfuzosina.Ha dois ou três anos comecei a sentir um calor na zona da próstata e foi-me receitado a finasterida.Melhoras nada.O meu medico diz-me para não voltar a tomar estes medicamentos e tomar o urocec.O meu PSA esta sempre em 0,4.que fazer.para deixar de ter este mal estar? Boa tarde.

  36. Pina says:

    sera respondido por email

  37. augusto vilaça says:

    Boa tarde. Solicito, se possível, uma informação. Estou a tomar Benestan e permixon. Na última consulta o meu médico receitou-me Finasterina.
    Posso tomar este medicamento com o permixon ?
    Muito obrigado pela sua colaboração.

  38. Pina says:

    vai ser respondido por mail

  39. José João Farinha says:

    Viva,tenho alguns sintomas e valor de PSA relativamente alto (total=5.77) (livre=1.03)tenho 64 anos e estive recentemente a ser observado por um urologista nos HUC,os sintomas a que me refiro são,urinar mais vezes do que em tempos idos,se não beber líquidos ao final do dia, faço um ciclo de noite no máximo de seis horas sem me levantar,mas por vezes bastam duas horas ,outras vezes quatro,durante o dia apenas urino mais vezes do que os demais…mas sem dor nem inconvenientes de maior,foi-me dito que tenho bexiga com pouca capacidade.
    Em resumo, estou a escrever este comentário na expectativa de me poder dar a sua opinião sobre uma situação que me foi proposta pelo urologista, e me preocupa, que foi solicitar-me para fazer uma biópsia prostática,receio os efeitos adversos que possam surgir,considerando a eficácia do procedimento…haverá alguma alternativa menos invasiva que possa ser feita com o mesmo objectivo?
    Aguardo com ansiedade o seu interesse pelo tema,Obrigado.

  40. Paulo says:

    Sou acompanhado pela equipe do Hopital das Clínicas de São Paulo, Brasil, tenho Próstata Aumentada 50g, dificuldade em urinar, tive a 15 dias retenção total, colocaram sonda por 15 dias, retirada e continuo com a dificuldade de urinar, exames mostraram,pedras na Vesícula, Rins e na Uretra, contudo na minha idade 55 não gostaria fazer a raspagem pois ficaria parcilamente impotente, e provavelmente teria que fazer novamente no futuro ! Qual seria a impossibilidade de fazer a embolização ? Aqui os médicos dizem que a cirurgia não é homologada. Eu gostaria de participar do estudo é provável homologação aqui no Brasil ! Vocês pode. Indicar Médico formado por Vocês ? No aguardo de retorno ! Abrigado antecipadamente ! Paulo

  41. Pina says:

    Será respondido por email

  42. Maria de Lurdes Henriques says:

    Meu marido foi operado à Próstata e ficou com a urina a sair directa sem encher a bexiga andando assim sempre urinado!
    Agradecia que me pudesse dizer algo sobre este problema!
    Boa noite
    Obrigado

  43. Pina says:

    vai ser respondido por mail

  44. Fernando Meneses says:

    Gostaria que me informacem se a MEDIS CTT comparticipa este tratamento.
    Muito obrigado.

  45. Pina says:

    vai ser respondido por mail

  46. JOSE CARLOS MACHADO says:

    Boa tarde
    Tenho 43 ano e hbp diagnosticada, fiz todos os exames na clinica de oeiras do hospital da luz, fluxometrias várias, exame urodinamico, eografia prostatica com toque retal analises psa normal. Sintomas principais no inicio ardor, infecao urinaria, jato muito pequeno, urgencia urinar e de noite acordar 3 a 4 vezes. O meu urologista diz que o melhor e ser operado atraves de laser, mas custo sao perto de 7000 euros e anestesia geral. Gostaria de saber e o vosso conselho se a embolizacao sera melhor para o meu caso. Pois tambem a nivel sexual nao sei como sera depois da operacao. O custo nao esta em causa pois tenho seguro saude da allianz e pelo que vi voces tem acordo, mas para que valores aproximados custa a embolizacao. Nao é necessario internamento? Como iniciar o processo é marcar consulta?

  47. Pina says:

    irá ser respondido por mail

  48. Pina says:

    ira ser respondido por mail

  49. Fernando Jesus says:

    Boa noite, tenho 59 anos e próstata com 127g e estou a tomar 1 comprimido de Tansulosina 0,4 mg diário depois de cerca de dois meses atrás ter que sido algaliado no Hospital Beatriz Ângelo depois de uma noite terrível sem poder urinar. Possuo ADSE e necessitava da opinião do Sr. Professor acerca do meu caso pois passo as noites a ir ao banho urinar com jato fraco pelo menos 3 ou 4 vezes e durante o dia não me posso afastar muito de uma casa de banho. Tenho andado com alguma depressão e baixa estima pois sinto dificuldade também em ter uma vida sexual satisfatória.
    Muito obrigados desde já pela vossa atenção.

  50. Pina says:

    ira ser respondido por mail

Deixe o seu comentário: